blog
The quick brown fox jumps over de lazy dog

Incompetência: a explicação científica.

Em 1999, os psicólogos Justin Krueger e David Dunning, investigadores da Universidade de Cornell, EUA, decidiram analisar mais profundamente indícios de estudos anteriores que indiciavam uma relação entre a ignorância e a confiança. Conceberam um grupo de estudo1 com alunos de Psicologia e submeteram-nos a testes temáticos de auto-avaliação em capacidades genéricas: gramaticais, lógicas e humorísticas. O objectivo era determinar a relação que os indivíduos faziam de si nestas áreas e o verdadeiro resultado obtido.

A surpreendente conclusão a que chegaram ficou conhecida como “Efeito Dunning-Kruger”. Os resultados que obtiveram foram esclarecedores: os participantes dos extremos reconhecem, com um bom grau de fidelidade, as suas capacidades. Os que são realmente maus, reconhecem que não são bons nestas áreas e os geniais reconhecem as suas capacidades. Porém, ambos são a minoria.


A maioria são os que estão nos valores medianos. Desses, os participantes com as notas mais baixas superestimaram de forma grosseira as suas capacidades. Em média, estimaram o seu desempenho em 62%, quando na realidade ficaram nos 12%…. Os investigadores atribuem este resultado a duas razões: em primeiro, ao desconhecimento da sua incompetência. Estes medianos baixos, julgam-se melhor preparados, o que faz com que tomem más decisões, obtenham resultados indevidos e continuem sem capacidade para perceber porquê, não admitindo que podem ser os próprios a causa da situação, ou pior, atribuindo a culpa a outros. A outra é o simples ego; dificilmente admitem que podem ficar abaixo da média nalguma coisa. A este síndrome, os investigadores chamaram "síndrome de superioridade ilusória".

Desgraçadamente, os participantes com notas médias e médias altas atribuíram um desempenho abaixo das suas capacidades, visto que tendem a ter menos autoconfiança não por acharem que não são capacitados, mas por julgarem que os restantes também o são. Pior, chegam a julgar que os piores são tão bons ou melhores do que eles, devido à autoconfiança que esses manifestam e que transmite uma falsa percepção das suas capacidades imaginadas. A esse outro fenómeno dá-se o nome de “síndrome do impostor”.

Ou seja, os mais capacitados não têm necessidade de auto proclamarem as suas capacidades, pois o uso das mesmas é um processo natural, e os menos capacitados gritam a sua suposta competência. Imaginem o que seria se estas pessoas chegassem a cargos de poder…


Notas

1 Estudos publicados no Journal of Personality and Social Psychology em Dez. de 1999.


Referências

https://www.jerwood-no.org.uk/pdf/Dunning%20Kruger.pdf
https://thedecisionlab.com/bias/dunning-kruger-effect/


Partilhe este artigo nas redes sociais:



O que achou? Tem comentários ou opiniões sobre este artigo?

Envie-nos o seu comentário